Enfermagem – Bacharelado

Histórico do curso

Em 1988, iniciaram os encaminhamentos para a criação do Curso de Enfermagem da UFMS, justificado pela carência de profissionais no Estado e a necessidade de melhorar a assistência de Enfermagem no Núcleo do Hospital Universitário (NHU). Foi constituída uma Comissão no NHU (Instrução de Serviço Pró-reitoria de Ensino (Pren) nº 13/89 de 31 de março de 1989), composta por enfermeiros representantes da Divisão de Enfermagem, para elaboração do projeto do curso, o qual foi concluído no final do mesmo ano.

Após análise da Comissão Permanente de Assuntos Didático Científicos constituída pela Pren foi aprovado, em reunião ordinária do Conselho Universitário (Coun) pela Resolução nº 04 de 23 de março 1990, o Curso de Enfermagem e Obstetrícia, com Habilitação em Enfermagem Geral, com quarenta vagas anuais, em Regime de Seriação. Destaca-se que foi o primeiro curso de Graduação em Enfermagem, criado no Estado de Mato Grosso do Sul.

Em julho de 1990, a Pren constituiu uma comissão temporária para a implantação do Curso de Enfermagem na UFMS, com início previsto para o primeiro período letivo de 1991. Em 17 de outubro de 1990, o Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Coepe) apreciou a primeira proposta de Estrutura Curricular do Curso de Enfermagem e Obstetrícia, com a carga horária de 3.240 horas aprovado pela Resolução Coepe nº 151 de 26 de outubro de 1990.

Em dezembro de 1990, foi elaborado o Plano Diretor do Curso de Enfermagem, que configurou o marco teórico do curso, pautado nos conceitos de Enfermagem como prática social. O primeiro vestibular foi no final do ano 1990, ingressando a primeira turma em fevereiro de 1991. No final do mesmo ano, o Curso foi avaliado pela Comissão de Avaliação do Funcionamento do Curso do MEC com parecer favorável. Em decorrência de ajustes solicitados pela Pró-reitoria de Graduação (Preg), o curso teve no período de 1990 a 1993, três estruturas curriculares, para atender a Resolução nº 4, do Conselho Federal de Educação, de 25 de fevereiro de 1972, vigente na época.

No final do ano de 1994, o Conselho Diretor da UFMS criou o Departamento de Enfermagem e Obstetrícia no Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS), conforme Resolução nº 84/1994, que se constituía como uma unidade administrativa da UFMS, vigente naquela época, a qual agregava os docentes enfermeiros e possuía competência consultiva do Colegiado do Curso de Enfermagem, para os assuntos acadêmicos e do currículo.

O reconhecimento do curso foi publicado na Portaria MEC nº 82/95 no Diário Oficial da União (DOU) de 06 de fevereiro de 1995, para um período de quatro anos e obteve os seguintes conceitos: Corpo Docente: Conceito Bom (CB); Organização Didática Pedagógica (CB) e Instalações (CB).

Em decorrência da publicação da Portaria Ministerial nº 1.721, de 15 de dezembro de 1994, do Ministério de Educação, que instituiu-se, uma nova estrutura mínima para os cursos de Enfermagem quanto a duração e carga horária, e contemplando as quatro áreas temáticas: Bases Biológicas e Sociais da Enfermagem, Fundamentos da Enfermagem, Assistência de Enfermagem e Administração de Enfermagem e a inclusão dos Estágios Supervisionados.

Desde a implantação do curso em 1991 até 1999, foram ofertadas quarenta vagas de ingresso por vestibular. A partir de 2000, teve um aumento para cinquenta vagas, sendo concluídas dezesseis turmas, perfazendo um total de 662 egressos. Desde 2008, o curso de enfermagem conta com 23 professores enfermeiros do quadro efetivo, destes dezenove são Doutores e quatro Mestres.

A partir das Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Graduação em Enfermagem, instituídas pela Resolução n° 3, do Conselho Nacional de Educação (CNE), de 07 de novembro 11 de 2001, a Comissão de Currículo do Curso de Enfermagem do Departamento de Enfermagem realizou em 2002, uma pesquisa junto aos docentes enfermeiros, visando desenvolver uma reflexão sobre a formação do enfermeiro e estabelecer estruturas curriculares que contemplassem os eixos norteadores para o denominado, na época de Projeto Político Pedagógico (PPP) do curso a ser elaborado, visando as mudanças necessárias.

O PPP que vinha sendo construído de 2002 a 2004 atendia às concepções de ensino da formação do enfermeiro propostas nas DCNs e as exigências quanto aos Estágios Supervisionados nos dois últimos semestres e a inserção da disciplina Trabalho de Conclusão de Curso. Neste projeto a matriz curricular era por disciplinas das diferentes áreas de conhecimentos. Por outro lado, o corpo docente do Departamento de Enfermagem, expressou a necessidade de uma proposta inovadora nos aspectos teórico-metodológicos, uma vez que muitas disciplinas da área da enfermagem já desenvolviam as práticas de ensino na perspectiva de metodologias ativas de aprendizagem centradas no estudante, que corroborou para a elaboração de um novo desenho curricular.

Assim, esta proposta inovadora de Projeto Pedagógico de Curso (PPC), foi implementada com o apoio financeiro do Programa Nacional de Reorientação da Formação Profissional em Saúde (Pró-Saúde), do Ministério da Saúde. Desta forma, a proposta de PPC de 2002, foi reformulada coletivamente, no âmbito do Departamento de Enfermagem em consonância com a Resolução nº 93 de 18/06/2003 da Câmara de Ensino da UFMS que estabelecia as orientações para a elaboração do Projeto Pedagógico de Curso.

Em 2009, a Resolução nº 4 do CNE/CES, de 06 de abril de 2009, fixou a carga horária mínima de 4.000 horas para os Cursos de Enfermagem e duração mínima de cinco anos, ocorrendo com isso outra mudança no PPC. Assim para atender a esta resolução do CNE, o Conselho de Ensino de Graduação (Coeg) aprovou, por meio da Resolução, nº 263, de 24 de outubro de 2011 a carga horaria de 4.351 horas para curso.

Com apoio do Pró-Saúde o curso realizou em 2012 uma avaliação externa do currículo, a qual indicou a necessidade de revisar a integração vertical dos conteúdos entre as ciências básicas e as especificas, assim como a consistência da interdisciplinaridade pretendida. Estas dimensões foram analisadas pelo Núcleo Docente Estruturante (NDE) e ajustadas em alguns aspectos relacionados a integração curricular. Na sequencia, em 2014, foram necessários realizar vários ajustes de carga horaria na matriz curricular do PPC, devido a mudança de hora-aula no regime da UFMS de 50 minutos para 60 minutos, gerando assim a publicação da Resolução Coeg nº 484, de 15 de outubro de 2014.

Em 2015, com a inclusão do curso no processo de avaliação do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), a matriz curricular foi novamente ajustada em relação a carga horaria de 20% destinada aos estágios obrigatórios, assegurada na Resolução Coeg nº 796 de 21 de outubro de 2016, ao curso ainda pertencente ao então CCBS.

Vale ressaltar, que desde a criação do Sistema de Avaliação da Educação Superior (Provão), em 2001, os alunos obtiveram conceito “B” e, em 2003, conceito “A”. Em 2004, o MEC criou o Exame Nacional de Avaliação e Desempenho dos Estudantes (Enade), no qual os estudantes ingressantes e concluintes do Curso de Enfermagem desta Universidade vêm alcançando resultados satisfatórios nas provas deste exame, o qual é aplicado pelo Inep , e pode-se observar o seguinte resultado: em 2004 o conceito foi quatro, em 2007 e 2010, o conceito foi cinco, e em 2016 obteve conceito quatro.

Em 2017, após a última reforma administrativa na UFMS, o antigo CCBS foi desmembrado, criando-se o Instituto Integrado de Saúde (Inisa), a qual está sediado na Unidade doze. Nesta mesma infraestrutura do Inisa, localiza-se a Coordenação de Curso de Enfermagem, laboratórios do curso e salas de aula e tutoria.

 

 

Projeto Pedagógico do Curso